Pastoral
01/04/2022

88 anos da canonização de Dom Bosco

Em 1º de abril de 1934, o Papa Pio XI proclamava João Melchior Bosco (1815-1888) santo, em um dia da Páscoa, na conclusão do Jubileu Extraordinário da Redenção. Todo o processo de beatificação e canonização de São João Bosco durou 44 anos, tendo início em Turim, no dia 4 de junho de 1890, passando pelo processo ordinário, conduzido pelo bispo local; processo apostólico romano e a comprovação de quatro milagres prescritos (dois para a beatificação e dois para a canonização). A Sociedade de São Francisco de Sales iniciou-se com São João Bosco, pai da juventude e santo cuja memória recorda-se hoje. 

 

Confira, na íntegra, a carta de proclamação da santidade de Dom Bosco escrita pelo Papa Pio XI, em de 1934, clicando aqui.

 

Em 8 de dezembro de 1841, Solenidade da Imaculada Conceição, Dom Bosco foi à Igreja de São Francisco de Sales, em Turim, para celebrar a Missa. Ao chegar na sacristia encontrou um jovem andando pelo local. Era Bartolomeu Garelli, de dezesseis anos, órfão e ajudante de pedreiro; ele nunca havia frequentado a escola e não sabia nada sobre o catecismo e a religião. O sacristão da igreja foi logo retirando o menino, mas Dom Bosco faz Bartolomeu retornar. Através daquele menino, o santo pôde ouvir o apelo de uma juventude marginalizada e carente. Após celebrar a Missa, São João Bosco conversa rapidamente com Bartolomeu e o convida para rezarem, juntos, uma Ave-Maria: marco da fundação dos salesianos. Neste encontro, o santo da juventude pede que Bartolomeu Garelli convide outros jovens e amigos, para que pudessem se encontrar. Assim nasce o grupo de rapazes que se reuniam todos os domingos.

 

Um encontro providencial e carismático de Dom Bosco com a juventude, um grupo pequeno de rapazes que se transformou em uma ordem. Aos poucos, a obra salesiana assumiu solidez e se expandiu não só pela Itália, mas para Espanha, para o Brasil e para o mundo. Hoje os salesianos estão presentes em mais de 130 países; com 90 inspetorias e 30 grupos formados por leigos.

 

 O CARISMA SALESIANO 

 

Por escolha de Dom Bosco, os salesianos têm São Francisco de Sales como modelo, devido a sua amabilidade e paixão evangelizadora; além de estudarem e imitarem São João Bosco, que é pai e mestre da ordem. Sua missão é, prioritariamente, a educação e a evangelização dos jovens. O carisma de São João Bosco é válido e vivo ainda hoje, visto que todo Salesiano é chamado a “ser na Igreja sinal e portador do amor de Deus aos jovens, especialmente aos mais pobres”. A Espiritualidade Salesiana é a espiritualidade da alegria, “da paixão pela vida e pelo Senhor da Vida”. O fato de o mundo inteiro estar nas mãos de Deus é motivo de muita alegria e celebração. O Salesiano faz de sua vida uma oração, onde cada jovem que cruza o seu caminho é a presença de Deus, na certeza de que “Deus o espera nos jovens”.

 

Dom Bosco ensina também que cada vida é um presente de Deus para si e para os outros, e a felicidade só se torna verdadeira quando ofertada ao próximo.

 

 SALESIANOS NO BRASIL 

 

Os Salesianos chegaram no Brasil em 1883, vindos do Uruguai e aportaram em Niterói (RJ), onde foram acolhidos em uma casa doada pelos Vicentinos. Vieram por convite dos bispos do Brasil, principalmente do Rio de Janeiro, com a intenção de dar apoio aos imigrantes e, de modo especial, aos filhos dos imigrantes italianos. Logo, os salesianos começaram a se dedicar em atividades para os jovens, como aulas de oratória, que se transformaram em escolas profissionais. Dedicaram-se inteiramente ao serviço educativo pastoral, característico da obra.

 

Conduzidos pelo sonho de São João Bosco de ir até os mais pobres, de orientar e fazer o bem à juventude do jeito que pudessem, os salesianos desenvolveram seus trabalhos e carisma no Brasil. A partir de 1883, outras fundações salesianas chegaram no país. Hoje são seis inspetorias (províncias), nas várias regiões: São Paulo, Belo Horizonte, Campo Grande, Manaus, Porto Alegre e Recife. Em cada inspetoria há uma média de 20 comunidades religiosas, 100 salesianos trabalhando e um grande número de leigos e leigas que beberam da fonte carismática que foi Dom Bosco e partilham da missão e do carisma.

 

Há quase 140 anos no Brasil, juntamente com o Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora (FMA), a congregação possui mais de 100 obras sociais, cerca de 80 paróquias, universidades, cursos superiores e 99 escolas de ensino fundamental e médio.  Além de rádios e dezenas de oratórios.

 

Fonte: Vatican News com informações da Agenzia Info Salesiana (ANS)

Compartilhe