Santidade Salesiana

Laura Vicuña

Nascimento: 05/04/1891

Beatificado: 03/09/1988

Celebração litúrgica:

Laura Carmen Vicuña nasceu em Santiago do Chile, no dia 5 de abril de 1891, filha de José Domingos e Mercedes Pino. Os Vicuña, família aristocrata chilena, foram obrigados ao exílio devido a uma revolução. Por isso, refugiaram-se em Temuco, numa pobre casa, mas pouco depois José Domingos morreu repentinamente. Mercedes viu-se obrigada a ir para a Argentina, mais especificamente para Junín de los Andes, com as duas filhas. Ali Mercedes conheceu o prepotente Manuel Mora e aceitou transferir-se para sua fazendo a fim de trabalhar, mas também para conviver com ele como marido e mulher, porém, sem o sacramento do matrimônio.

 

Em 1900 Laura foi aceita pela Ir. Júlia Amanda no colégio das Filhas de Maria Auxiliadora. Demonstrou-se aluna modelo: empenhada na oração, atenta às orientações das irmãs, disponível com as companheiras, sempre alegre e pronta a qualquer sacrifício. No ano seguinte, fez a primeira comunhão com o mesmo fervor e os mesmos propósitos de São Domingos Sávio, que tomara como modelo e entrou na Associação das Filhas de Maria.

 

Durante o catecismo, enquanto uma irmã explicava o sacramento do matrimônio, Laura compreendeu a situação de pecado da mãe e desmaiou. Compreendeu também porque durante as férias na fazenda, a mãe a fazia rezar de modo escondido, e porque não se aproximava dos sacramentos. Desde então, Laura aumentou suas orações e sacrifícios pela conversão da mãe.

 

Nas férias de 1902 Manuel Mora insidiou a pureza de Laura; ela recusou com firmeza, lançando-lhe todas as fúrias. Voltou ao colégio como estudante auxiliar, porque ele não pagava mais a mensalidade. Pediu com todo o coração para ser Filha de Maria Auxiliadora, mas foi-lhe negado devido à situação da mãe. Ofereceu a vida a Nosso Senhor pela sua conversão, acentuou a ascese e, com o consentimento do confessor Pe. Crestanello, abraçou com voto os conselhos evangélicos.


Esgotada por sacrifícios e doenças, foi espancada por Mora por tê-lo recusado mais uma vez. Em sua última noite, confidenciou: "Mamãe, eu vou morrer! Há algum tempo, eu pedi isso a Jesus, oferecendo-lhe a vida por ti, a fim de obter o teu retorno a Deus... Mamãe, será que terei antes de morrer a alegria de te ver arrependida?".

 

"Laura – respondeu Mercedes – juro-te que farei o que me pedes". Com alegria Laura morreu na noite de 22 de janeiro de 1904. Seus restos mortais estão na capela das Filhas de Maria Auxiliadora de Bahía Blanca. No centenário da morte de Dom Bosco, a filha predileta que dera a vida pela virtude mais cara ao mestre, foi beatificada por João Paulo II, no dia 3 de setembro de 1988, em Castelnuovo Dom Bosco, na presença de milhares de jovens.

 

BUSCANDO O ROSTO VERDADEIRO DE LAURA VICUÑA 

 

Na época de Laura, a fotografia era algo para ocasiões extraordinárias, não havia fotos da família de Laura, foi a escola que lhe deu a única foto que ela tinha, e ela não estava sozinha, mas com seu grupo. Por que custou tanto encontrar o rosto que imortalizou aquela fotografia?

 

Houve muita tristeza na vida de Laura Vicuña. O abandono do pai foi justificado depois de afirmar que teve que fugir por razões políticas, recusou a incompreensão e a agressão da própria mãe, a dureza das mesmas irmãs foi atenuada para corrigir-se de sua enurese. Houve silêncios ao redor de sua vida. Assim, como se faz várias vezes com a própria história, e com a das pessoas que se acompanha, também se fez com o rosto de Laura para apagá-lo e fazer surgir outro mais apresentável. Embora houvesse um forte reconhecimento da santidade de Laura na cidade de Junín e especialmente dos salesianos que a conheciam mais de perto (seu confessor, Pe. Augusto Crestanello e seu amigo, o clérigo Felix Velois Ortiz), não houve dedicação especial em preservar dados e manter viva a imagem de Laura.

 

Chegou-se a 1988, ano da beatificação de Laurita, com um rosto tão difuso que se tornou necessário criar um novo para os altares do mundo. Pegou-se o quadro que o artista Mario Caffaro Rore havia pintado em 1955, na Itália. Narram Brugna e Román na biografia de Laura: "Não serviu nenhuma fotografia, mas prosseguiu-se com a boa proporção de fantasia."

 

Os mesmos sacerdotes compartilham expressões daqueles que a conheceram, onde é feita uma descrição de sua aparência que fala de seu interior:

 

Ir. Ángela Piai, diretora da "Missão de Junin de los Andes" quando Laura era estudante: "Ela tinha um olhar inteligente e ingênuo, um sorriso habitual e modesto mesmo nos sofrimentos, ela chorava e ria ao mesmo tempo, a posição da cabeça ligeiramente inclinada para a direita, prontamente foi aceita por todos, por seu tratamento, sua modéstia e simplicidade, sem ostentação, ela se manteve com um comportamento encantador. Resplandecente, mostrou a sinceridade de sua alma e a simplicidade de seu coração".

 

Pe. Zacarias Genghini, um sacerdote da "Missão de Junín de Los Andes", escreveu: " Laura possuía um rosto pequeno e redondo no início, magra (devido a doenças), mas sempre sorridente e afável, corpo de estatura mediana para a sua idade, porém delgado".

 

Carmen Ruiz escreveu: " Era delicada, pele era branca, cabelos e olhos escuros e abundante, era quieta, uma menina de maneiras suaves, cabelos presos com tranças feitas com uma fita, de olhar modesto. Rosto arredondado, bochechas quase sem cor, ou quase nada ".

 

Os sacerdotes Brugna e Román, com essas descrições e a fotografia de grupo, pediram ao artista Amado Armas, para fazer um desenho. Posteriormente, as salesianas do Chile e da Argentina tiraram a fotografia do arquivo de 1900 ou 1901 e solicitaram à Diretoria de Investigação da polícia do Chile que fizesse uma análise da face para confirmar, com certeza, se era ou não a face de Laura Vicuña. Eles fizeram o correspondente relatório especializado de análise (n.º 8121-2009), onde concluíram que era o rosto de Laura.

 

 

MAIS MATERIAIS 

 

Homilia de Beatificação de Laura Vicuña pelo Papa João Paulo II (3 de setembro de 1988)

 

Livro "A Mensagem de Laura Vicuña" para download gratuito

 

Gibi sobre a vida de Laura Vicuña para download gratuito

 

Fonte: Com informações de cgfma.netsdb.orgVatican News