Santidade Salesiana

Margarida Occhiena

Nascimento: 01/04/1788

Celebração litúrgica:

Declarada venerável em 23/10/2006

 

Margarida Occhiena nasceu em 1 de abril de 1788 em Capriglio, na província de Asti, sexta de dez crianças. No mesmo dia, ela é batizada na igreja paroquial. Seus pais são agricultores com sinceros sentimentos cristãos. Desde tenra idade, Margarida é uma grande trabalhadora. Tempos e compromissos não lhe dão a oportunidade de estudar, mas seu amor pela oração enriquece-a com a sabedoria que não se encontra nos livros.

 

Em 1812, se casou com Francesco Bosco, com 27 anos na época, viúvo, e com um filho de três anos, Antonio, e uma mãe doente dependente. No ano seguinte, nasceu Giuseppe e em 1815 Giovanni (o futuro Dom Bosco). Juntos, eles se mudam para o Becchi, uma aldeia de Castelnuovo d'Asti. Em 1817, Francesco morreu de pneumonia.

 

Margarida, com apenas 29 anos, se vê diante da administração da família numa época de grande fome, ajudando a mãe de Francesco, Antonio, e o pequeno Giuseppe e Giovanni. Margarida era uma mulher de grande fé. Deus estava sempre em cima de todos os seus pensamentos e sempre em seus lábios. O amor do Senhor foi tão intenso que formou o coração de uma mãe nela. Educadora sábia, foi capaz de combinar paternidade e maternidade, doçura e firmeza, vigilância e confiança, familiaridade e diálogo, educando seus filhos com amor altruísta, paciente e exigente. Atenta à sua experiência, ela confiava nos meios humanos e na ajuda divina. Três meninos com temperamentos muito diferentes crescem com os mesmos critérios, mas com métodos diferentes. Ela lhes ensina o catecismo e os prepara para a primeira comunhão.

 

Ouvindo o sonho dos 9 anos de Giovanni, ela é a única que pode lê-lo à luz do Senhor: "Quem sabe se você não deve se tornar um padre". A hostilidade de Antonio aos estudos de Giovanni forçou-a a remover seu filho mais novo para estudar. Ela o acompanhará à ordenação sacerdotal. Nesse dia, ela proferiu-lhe algumas palavras que permaneceram no coração de Dom Bosco por toda a vida.

 

Quando, em 1846, Dom Bosco ficou seriamente doente, Margarida foi ajudá-lo, descobrindo o bem que ele fez pela juventude abandonada. Pedida para segui-lo, ela responde: "Se você acredita que esta é a vontade do Senhor, eu estou pronta para vir". A presença de Margarida transforma o oratório em uma família. Durante dez anos, sua vida se confundiu com a de seu filho e com os primórdios da obra salesiana: ela foi a primeira e mais importante cooperadora de Dom Bosco; tornando-se o elemento materno do Sistema Preventivo; ela é, sem saber, uma "cofundadora" da Família Salesiana.

 

Mamãe Margarida morreu em Turim, atingida por pneumonia, em 25 de novembro de 1856, aos 68 anos. Muitos meninos a acompanham ao cemitério. Por toda sua dedicação aos meninos de Dom Bosco, gerações de Salesianos e Salesianas a chamam até hoje de "Mamãe Margarida".

 

Fonte: sdb.org